Filhotes tem que brincar!
Cães, Comportamento, Gatos

Filhotes precisam brincar!

Cães que aprendem a brincar desde filhotes, tendem a manter um melhor comportamento por toda sua vida adulta. Leia mais.

 

Tanto as crianças quanto os animais – incluindo é claro, os filhotes de cachorros – necessitam brincar para desenvolver sua personalidade afetiva e ter um físico saudável. Além disso, a brincadeira é a atividade mais importante para uma formação ideal do caráter de um cachorro.

Todos os filhotes de cachorros precisam brincar muito durante seu desenvolvimento e a ausência da brincadeira, pode acarretar em problemas comportamentais de proporções irreversíveis na idade adulta.

A brincadeira e a socialização dos cachorros não deve ultrapassar as seis semanas de vida, enquanto no caso de gatinhos a brincadeira já começa na terceira semana. Instintivamente, as ninhadas de cachorros começam a brincar muito cedo. Começam a interagir entre os irmãos assim que abrem os olhinhos e devem ser estimulados pelos seus donos, mantendo as brincadeiras como rotina durante toda a fase de crescimento.

A brincadeira e a socialização dos cachorros não deve ultrapassar as seis semanas de vida.

A brincadeira e a socialização dos cachorros não deve ultrapassar as seis semanas de vida.

As brincadeiras são importantes pois trazem para o filhote de cachorro um desenvolvimento cardiovascular ideal, maior equilíbrio, coordenação motora, lubrificação das articulações e habilidades como a caça e instinto de proteção. Proporcionam ainda, maior facilidade de manipulação do animal na idade adulta, evitando problemas como, por exemplo, a resistência na hora de levá-lo ao veterinário, estimulando a boa convivência com visitas em casa entre outras coisas. A distração e o entretenimento são essenciais para a vida do filhote de cachorro, e evita que ele possa adquirir vícios destrutivos ou indesejáveis, além de aumentar o vínculo afetivo com toda a família e demais animais da casa.

Os brinquedos queridinhos dos cães nessa fase são os mordedores, as bolinhas para brincadeiras de buscar, os de pelúcia que remetem à mãe e ao aconchego da ninhada e os de corda que aliviam a coceira das gengivas! Para os gatos, os arranhadores e aqueles que estimulam a inteligência são perfeitos.

É importante ressaltar que a brincadeira agressiva possui seus aspectos negativos. Os gatos, por exemplo, quando brincam na natureza, gradualmente se tornam mais agressivos, principalmente por que eles necessitam proteger-se de eventuais predadores. Isto pode resultar em uma personalidade considerada “antissocial”. O motivo pelo qual a maioria dos gatos domésticos são tão sociais com as pessoas é que eles percebem desde cedo que fazem “parte da família”. Eles percebem o amor oferecido por seus donos e isso muda tudo!

Gatinhos também precisam brincar!

Gatinhos também precisam brincar!

Por isso, na infância de qualquer animal, um tapa, uma vassourada, ou até mesmo um susto, gritos, ou batidas de porta, podem levar a consequências desastrosas para a sua personalidade.

É preciso salientar que a brincadeira agressiva entre filhotes de cachorro, deve ser desestimulada. O instinto de agressividade dos animais diminui consideravelmente quando o filhote de cachorro sente-se recompensado pela diversão, o que acaba proporcionando um aprendizado importante.

Durante essa fase, o filhote de cachorro compreende os limites das brincadeiras. No caso de exagero por parte dos filhotes, os donos devem repreendê-los prontamente, mas sem machucá-los. Dessa forma, os filhotes de cachorros compreendem até onde podem ir com suas brincadeiras, aproveitando esta fase ao máximo.

 

Fonte Blog do Cachorro

Comentários